५हჱ«══╬PATriciatu╬══»५हჱ

Só mais um site WordPress.com

Barbárvore 25 de fevereiro de 2006

Filed under: Sem categoria — patkovacs @ 19:50
 
Meu livro do momento é o maravilhoso Senhor dos Anéis, a obra completa com… 1.200 páginas! Quer por extenso? Mil e duzentas páginas! Até agora só alcancei 500, mas…
Creio que SDA dispensa apresentações, mas depois de ler todo o livro, farei uma resenha sobre ele. Por ora apenas quero postar aqui uma canção (dentre muitas que povoam o livro, baseado na literatura da Idade Média) de uma das partes que mais gostei até então. Trata-se do capítulo "Barbárvore", do Livro III da parte As Duas Torres. Talvez por este capítulo tratar de Ents e sobre árvores e florestas, foi o que mais me agradou até agora, e Barbárvore, o mais antigo Ent da Floresta de Fangorn, se tornou o meu personagem preferido, dentre todos.
 
 
(Ent)
Se a Primavera enfolha a faia e a seiva os galhos banha,
Se a luz se espelha no regato e há vento na montanha,
Se o passo é largo, duro o esforço e frio corta o ar
Volta pra mim! Volta pra mim! Diz que é belo este lugar!
 
(Entesposa)
Se a Primavera ao campo chega e o trigo está na espiga,
Se a branca a flor qual neve brilha e no pomar se abriga,
Se a chuva e sol por sobre a terra perfume há no ar,
Eu fico aqui, não volto, é belo meu lugar.
 
(Ent)
Se for Verão por sobre a terra e à tarde a luz dourada
Mil sonhos verdes derramar nas fohas enlaçadas;
Se verde e fresco for o bosque e o vento for bem-vindo,
Volta pra mim! Volta pra mim! Diz que aqui é tudo mais lindo!
 
(Entesposa)
Se for Verão e no calor a fruta escurecer,
Se a palha é seca, e a espiga branca na hora de colher;
Se pinga o mel, cresce a maçã ao vento que é bem-vindo,
Eu fico aqui, à luz do sol, pois isso é bem mais lindo!
 
(Ent)
Se for Inverno, o duro Inverno que mata o campo Cinvade,
Se a noite escura o dia sem sol devora sem piedade,
Se o Vento Leste for mortal, então na chuva fria
Vou procurar-te, vou chamar-te, eu volto nesse dia.
 
(Entesposa)
Se for Inverno sem canções, se a treva enfim vier,
Quebrando já o inútil galho, se a luz já não houver,
Vou procurar-te e esperar-te, até seguir um dia
Contigo pela estrada afora sob a chuva fria!
 
(Ambos)
E junto para o oeste vamos no encaminhar
E longe, longe encontramos onde descansar.
 
 
Anúncios
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s